Arquivo da categoria: Operadoras de Planos de Saúde

Entidades Medicas participam de audiência publica no Senado Federal

Entidades medicas se reunem no plenario Petronio Portela do Senado Federal em Brasilia ,para lutar pela dignidade na medicina e qualidade da assistencia em saude, ,em defesa do Sus com maior financiamento..presente na mesa,senador Paulo Davi,deputado Eleuses Paiva ,representante da AMB Fenam e CFm alem de varios deputados. No plenario varios representantes da APM inclusive o presidente Florisval Meilao , conselheiros e o presidente Renato Azevedo.
Representando a APM Sao José dos Campos, a diretora de Defesa Profissional, Dra. Silvana Morandini (foto)

20130402-122847.jpg

Dilma vai acabar com o SUS?

É inaceitável a intenção do governo de abdicar da consolidação da rede pública e apostar no avanço de planos de saúde ineficientes

O desmonte final do Sistema Único de Saúde (SUS) vem sendo negociado a portas fechadas, em encontros da presidente Dilma Rousseff com donos de planos de saúde, entre eles financiadores da campanha presidencial de 2010 e sócios do capital estrangeiro, que acaba de atracar faminto nesse mercado nacional.

Leia mais na Folha de São Paulo

Plano terá que justificar negativa de procedimento médico

Informação por escrito terá que ser encaminhada em até 48 horas.
Documento vai ajudar cliente a pedir ressarcimentos.

Os clientes de planos de saúde vão poder exigir das operadoras que informem, por escrito, os motivos que levam essas empresas a negar autorização para procedimentos médicos. A medida, que entra em vigor em maio, foi divulgada nesta terça-feira (5) pela Agência Nacional de Saúde Complementar (ANS) e pelo Ministério da Saúde.

Leia a notícia no G1

Grande reunião do movimento nacional em 01 de março na APM

Ocorreu em 1º de março, na sede da Associação Paulista de Medicina, em São Paulo, reunião ampliada das Federadas, Conselhos Regionais e Sindicatos, coordenados pelas entidades nacionais – Associação Médica Brasileira, Conselho Federal de Medicina e Federação Nacional dos Médicos – com o objetivo de organizar um calendário nacional de lutas na saúde suplementar, à semelhança do que foi feito no ano passado.

No encontro, foi definido o cronograma de ações para 2013, que deve englobar denúncias sobre os honorários defasados e as interferências na relação médico-paciente, período de negociações com as operadoras e seguradoras e posterior posicionamento da classe médica quanto às propostas das empresas.

Propostas

No final do debate, foram votadas cinco propostas nacionais que servirão de base para as negociações estaduais com os planos: valor da consulta a R$ 90, reajuste dos procedimentos com base na CBHPM, contratos justos sem frações de índice, re-hierarquização proposta pela ANS com base na CBHPM e aprovação do Projeto de Lei 6.964, que trata sobre reajuste anual dos contratos. Entidades médicas e sociedades de especialidades paulistas deverão se reunir ainda no mês de março para definir a pauta local de reivindicações junto aos planos de saúde.

A APM de São José dos Campos foi representada pelo seu presidente, Sérgio dos Passos Ramos e pelos diretores Lauro Mascarenhas e Vitor Pariz

20130302-060244.jpg

Justiça dá sentença favorável à ação do Cremesp e proíbe indicação do CID de paciente em formulário do TISS

A Justiça deu sentença favorável à ação impetrada pelo Cremesp e proibiu a Agência Nacional de Saúde (ANS) de requerer a inclusão de dados confidenciais de paciente, em especial a indicação do CID (Classificação Internacional da Doença), em qualquer documento ou formulário do sistema de Troca de Informações em Saúde Suplementar (TISS). Ainda de acordo com a sentença da 24ª Vara Civil Federal, publicada nesta quinta-feira (7/02), a ANS deve “abster-se, permanentemente” de fazer qualquer exigência sobre essas informações sigilosas de forma “que condicione a prestação de serviço contratado e o pagamento dos custos decorrentes de serviços médicos”.  Para o presidente do Cremesp, Renato Azevedo Júnior, “a decisão judicial reforça a ilegalidade da exigência de preenchimento do CID de pacientes, por parte das operadoras, para pagamento de honorários médicos”.

Leia mais

Planos de São José dos Campos e Jacareí entre os que menos remuneram

A SOGESP, Associação de Obstetrícia e Ginecologia do Estado de São Paulo, divulgou um RANKING das Operadoras de Saúde do Estado de São Paulo em relação aos pagamentos aos médicos.
O nome do Ranking é RASGOS e será ANUAL.
Neste Ranking as operadoras de São José dos Campos e Jacareí, São Francisco Vida, Atívia e Unimed de São José dos Campos estão no 19º lugar em relação ao valor das consultas.
Trata-se de um contra-senso já que é uma das regiões mais ricas do estado.
A íntegra do estudo pode ser encontrada em http://dv.rmcbrothers.com.br/sogesp/revista/0103/#/16/

Pesquisa SOGESP-Datafolha aponta interferência de planos na G.O.

Em coletiva à imprensa em 30 de agosto, às 11h, em meio ao XVII Congresso Paulista de Ginecologia e Obstetrícia, a SOGESP apresenta pesquisa Datafolha especialmente encomendada para dimensionar os problemas que os tocoginecologistas de São Paulo enfrentam no dia a dia da saúde suplementar.

Os resultados são estarrecedores; confirmam a sensação de que está se tornando inviável prestar serviço aos convênios, particularmente em virtude dos honorários irrisórios e da desmedida interferência na prática da especialidade. As pressões são constantes, inclusive nas internações, quando estão em jogo saúde e as vidas da mãe e do bebê.

Na oportunidade será anunciado também dado que evidencia alto índice de abandono da prática da obstetrícia no estado.

Coletiva SOGESP-Datafolha
Data – 30 de agosto
Horário – 11h
Local – Transamérica Expocenter, Avenida Doutor Mário Vilas Boas Rodrigues, 387 – Santo Amaro São Paulo