Arquivo mensal: agosto 2012

CFM recomenda parto em hospital

Fonte Revista Veja para iPhone:
A controvérsia em torno do parto domiciliar ganhou um novo ingrediente nesta sexta-feira. O Conselho Federal de Medicina (CFM) divulgou um documento endereçado a médicos e sociedade recomendando que partos sejam feitos em ambiente hospitalar. A entidade alega que a opção é mais segura tanto para a criança quanto para o bebê.
O documento não é de cumprimento obrigatório e tem um tom mais brando quando comparado ao estopim de toda a discussão: uma resolução do Conselho Regional de Medicina do Rio, editada há duas semanas, proibindo a participação de médicos em partos domiciliares e nas equipes de sobreaviso.
A medida, suspensa por uma liminar poucos dias depois, numa ação civil pública proposta pelo Conselho Regional de Enfermagem do Rio, provocou uma imediata reação de grupos que defendem o parto humanizado. Passeatas, muitas tendo na linha de frente gestantes, foram feitas em vários pontos do país. Na quinta-feira, o Conselho Nacional de Saúde aprovou também um texto, criticando a tentativa de restrição e defendendo a liberdade tanto de mulheres quanto de médicos e demais profissionais de saúde em fazer o parto em casa.
“Esse documento é mais ponderado, reflete o que nós defendemos”, afirmou o secretário de Assistência do Ministério da Saúde, Helvécio Miranda. Ele lembra que 98% dos partos do país são hospitalares. “O que temos de fazer é humanizar o atendimento, garantir à gestante analgesia, acompanhante, condições mais adequadas no atendimento”, completou. Miranda acrescenta, porém, que em regiões mais afastadas há uma tradição do parto domiciliar, que tem de ser respeitada. “O parto com enfermeira obstetriz é legal, é reconhecido, não há razão para que ele não seja feito também”, disse.

Anúncios

Anvisa quer receita para tarja vermelha

O hábito de ir à farmácia e comprar remédios de tarja vermelha (como anticoncepcionais, anti-inflamatórios e drogas para hipertensão) sem apresentar a receita médica pode acabar.

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) pretende fechar o cerco às farmácias para fazer valer, na prática, a inscrição “vendido sob prescrição médica” impressa nas tarjas vermelhas.

O alerta sinaliza a existência de contraindicações e risco de efeitos colaterais graves.

Leia notícia completa na Folha de São Paulo

Conselho Federal de Medicina condena terapia antienvelhecimento ou anti-aging

Faltam evidências científicas que justifiquem a prática da medicina antienvelhecimento, ou anti-aging. Essa é a conclusão de uma extensa revisão de estudos científicos sobre o assunto, realizada pelo CFM. A principal crítica da entidade diz respeito à reposição hormonal e à suplementação com antioxidantes, vitaminas e sais minerais, medidas propostas pelos que a prescrevem.
Leia mais