Arquivo mensal: junho 2012

Suprema Corte dos EUA aprova lei de reforma de saúde

A Suprema Corte dos EUA considerou constitucional a controversa lei de reforma de saúde do presidente Barack Obama, após três meses de revisão do texto.

Um dos itens mais polêmicos prevê a obrigatoriedade dos cidadãos em contratarem um seguro de saúde até 2014 ou arcarem com uma penalidade em caso de negativa.
Leia na Folha de São Paulo

Leia no NyTimes

Suprema Corte da vitória a Obama

Anúncios

ANS divulga reajuste dos planos de saúde

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) fixou em 7,93% o índice máximo de reajuste para os planos de saúde médico-hospitalares individuais/familiares contratados a partir de janeiro de 1999 ou adaptados à Lei nº 9.656/98. O percentual, válido para o período entre maio/2012 e abril/2013, incidirá sobre os contratos de cerca de 8 milhões de beneficiários, o que representa 17% dos consumidores de planos de assistência médica no Brasil. A metodologia aplicada pela ANS para obter o índice é a mesma desde 2001.

A gerente-geral Econômico-Financeira e Atuarial dos Produtos da ANS, Rosana Neves, orienta os consumidores a observarem os próximos boletos. “É necessário verificar se o valor do aumento corresponde ao percentual de 7,93% e se o aniversário do contrato ocorre a partir de maio de 2012, quando o reajuste está autorizado”.

Em caso de dúvida, os consumidores devem entrar em contato com a Agência por meio do Disque-ANS (0800 701 9656); pela Central de Atendimento ao Consumidor, no endereço http://www.ans.gov.br; ou pessoalmente, em um dos 12 Núcleos da ANS distribuídos pelo país.

Leia a notícia completa.

Cremesp faz estudo sobre demografia médica

ESTUDO DE PROJEÇÃO “CONCENTRAÇÃO DE MÉDICOS NO BRASIL EM 2020”

Em 2020, mesmo sem novas vagas em cursos de Medicina, haverá explosão da relação médico-habitante e super-concentração de médicos em diversos Estados, capitais e municípios de médio porte.
Brasil atingirá em 2020 a razão de 2,20 médicos por 1.000 habitantes, sem necessidade de abrir mais escolas médicas.
Com anúncio de 2.415 novas vagas em cursos de Medicina, e sem uma política adequada para distribuição de médicos, o governo federal irá acentuar as desigualdades no acesso à assistência médica.
Para justificar a abertura de cursos, Ministério da Educação utiliza parâmetro sem fundamentação e indicadores com fraca evidência da real necessidade de médicos.
Sem dar garantias de qualidade na expansão do ensino médico, sem docentes qualificados e sem vagas de Residência Médica para os novos formandos, governo federal poderá colocar em risco a saúde da população.Clique na imagem para ler o estudo:

Densidade Médica

Densidade Médica

Inauguração Hemodinâmica Vivalle

Hospital viValle reúne cardiologistas de renome em evento de inauguração do setor de Hemodinâmica

Inauguração Hemodinâmica Vivalle

Inauguração Hemodinâmica Vivalle


Durante o evento, o Heart Team, formado pela equipe de cardiologistas convidados, discutiu o caso clínico de uma paciente de 71 anos, portadora de disfunção arterial grave associada à doença microvascular em função do Diabetes, com a transmissão do procedimento ao vivo.
O evento científico promovido pelo Instituto de Ensino e Pesquisa (IEP) do Hospital viValle, no último sábado, dia 16, reuniu renomados cardiologistas clínicos, intervencionistas e cirurgiões no Promenade Hotel, em São José dos Campos, para a inauguração do setor de Hemodinâmica do viValle, um avançado centro para a realização de procedimentos cardíacos, equipado com aparelhos de alta tecnologia.
A APM foi representada pelo seu presidente, Dr. Sérgio dos Passos Ramos
A mesa foi mediada pelo Dr. Carlos Magalhães, eleito presidente da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (SOCESP) 2012/2013, membro do Colégio Americano de Cardiologia e da Sociedade Européia de Aterosclerose.

Governo anuncia que não reduzirá salário de médicos

Depois que médicos de hospitais públicos federais de dez estados do país paralisaram suas atividades nesta terça-feira, o governo federal anunciou que vai voltar atrás nos planos de reduzir os salários da categoria. O protesto foi contra a Medida Provisória (MP) 568, que previa uma alteração na jornada de trabalho e na remuneração dos profissionais da saúde — a perda salarial dos médicos poderia chegar a 50%.
Leia mais na Veja

Leia mais no Estadão

Troca de plano de saúde para aposentado e demitido começa a valer

Aposentados e demitidos que mantiverem o plano de saúde empresarial após o desligamento da empresa já podem migrar para planos individuais sem nova carência.

Carência é o período que a pessoa tem de esperar até ter acesso a todos os exames, consultas e tratamentos cobertos pelo plano contratado.

A decisão, regulada pela ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) em novembro, entra em vigor hoje.

A lei já previa a possibilidade de aposentados ou demitidos sem justa causa manterem o plano empresarial após a saída do emprego.

A condição é que eles tivessem contribuído com parte de seu pagamento e assumam a mensalidade integralmente –o que muitas vezes é mais vantajoso do que contratar um plano individual.

Após o desligamento da empresa, os demitidos podem manter o plano por até dois anos, dependendo do tempo de contribuição.

Os aposentados só têm direito ao benefício pelo tempo que desejarem se tiverem contribuído por mais de dez anos. Senão, cada ano de contribuição dá direito a um ano de cobertura.
Leia mais na Folha.com